Transformação digital na construção civil

Engenheiro civil usando o seu smartphone na obra

A sociedade está passando por uma revolução comportamental e, para acompanhar tanta mudança, as empresas precisam aumentar sua performance. Sabemos que isso depende diretamente do uso da tecnologia e que toda mudança é um processo que leva tempo e demanda recursos. Porém, as organizações devem ter a consciência de que o investimento em inovação e priorização de um atendimento excelente ao cliente não são um “plus”, são uma necessidade!

O consumidor 3.0, extremamente conectado e exigente, sempre está exposto a oportunidades de compra de serviços ou produtos e não precisa mais ir atrás dos negócios; os negócios precisam ir até ele. Apesar de estarmos na Era dos Micro-Momentos – teoria elaborada em estudos do Google – em que tomamos decisões importantes em poucos segundos, fazemos isso muito bem embasados graças à facilidade para encontrar informações que a Internet proporciona. Enquadrar-se nas novas regras é a única forma de se manter no páreo do mercado competitivo atual.

Trata-se da conhecida transformação digital, um termo que tem chamado a atenção de muitas empresas de diversas áreas ao redor do mundo e se refere – resumidamente – a melhorar o desempenho de uma corporação usando a tecnologia. Essa transformação tem tomado conta não somente dos processos operacionais e dos novos modelos de negócios que surgiram junto à internet e à globalização, mas também da experiência do consumidor.

A maior mudança na postura das empresas é a de tentar se aproximar do cliente de uma maneira mais humana, mesmo que o faça utilizando meios digitais. A ideia é demonstrar uma preocupação com a satisfação dele e a forma mais rápida e eficiente de atingi-la é automatizar o atendimento.

Independente da assistência que deseja, o cliente quer que ela aconteça em tempo hábil e sem transtornos, de preferência, sem precisar se deslocar ou parar de fazer algo que já está fazendo. É por isso que tem crescido tanto a inserção do atendimento digital nas empresas.

De acordo com pesquisas feitas pelo Gartner Group, uma empresa americana de consultoria bastante renomada, até 2020, 85% dos atendimentos serão feitos por robôs e  em 2021, mais da metade das organizações vai gastar mais com a criação de bots (diminutivo de “robots”: robôs) e chatbots (conversas com robôs) do que com o desenvolvimento de aplicativos tradicionais.

Chatbots

Os chatbots, primordiais na presente transformação digital, são sistemas desenvolvidos para entender as necessidades e solucionar problemas ou questionamentos recorrentes dos clientes, a partir de algoritmos e Inteligência artificial. Um usuário pode tirar dúvidas sobre produtos, fazer reclamações, consultar suas contas, dentre um leque de outras possibilidades. O interessante dessa ferramenta é que, por incrível que pareça, ela é capaz de entender as emoções do consumidor. Tudo isso através de uma conversa simples, direta e amigável que simula um bate-papo humano.

O acesso ininterrupto ao atendimento e a disponibilidade de soluções dadas instantaneamente, maximizam o desempenho da empresa e a chance de agradar e reter o cliente. Além de diminuir a carga em cima da mão-de-obra humana, otimizando os serviços e garantindo uma economia para o negócio.

Outro fator atrativo é que esses softwares podem se encaixar em qualquer ramo. Até mesmo, nos que parecem conservadores como a construção civil.

Chatbots e construção civil

E como agrupar esses tais robozinhos à uma empresa que mexe com obras e edificações? Já existem sistemas que integram os dados de todos os setores de uma empresa. São os sistemas de Gestão Empresarial, os ERP (Enterprise Resource Planning, em português: Planejamento de Recursos Empresariais). Agora, imagine poder conectar uma plataforma que abrange todas as informações relevantes de uma determinada empresa com um instrumento que vai conversar automaticamente com seu cliente?

Essa possibilidade existe! Um exemplo recente e bem sucedido é a parceria entre dois softwares: um sistema de atendimento online (Push) e um ERP da construção civil (Sienge), que se uniram com o intuito de propiciar uma maneira inovadora de relacionar os clientes e as construtoras civis.

Juntos, os sistemas podem emitir segunda via de boleto, dar a posição financeira do cliente, fazer negociações online, enviar avisos de vencimento e alertas de cobranças. Tudo isso de forma automática. Basta o cliente da construtora solicitar através do chatbot. O Push, além de treinado para diversas possibilidades de abordagens do cliente, é habilitado a reconhecer as intenções dele, mesmo quando não está sendo explícito ou claro. O mais interessante é que com o passar do tempo, ele consegue ficar mais inteligente e atender ainda mais necessidades.

Push

O Push é um software que pretende descomplicar o atendimento, usando chatbots e inteligência artificial – uma tecnologia super avançada que é capaz de “raciocinar”, decidir e aprender, como seres humanos, de maneira inteligente -. Essa solução móvel funciona de forma multicanal (omnichannel), ou seja, interliga diversos canais, como: Websites, Facebook Messenger, WhatsApp, SMS, Android, IOS, Telegram, Twitter, Line, Viber. Ele é capaz de criar organizações e perfis de usuários; tem um sistema de tags para qualificar as mensagens e encaminhar o usuário ao atendimento adequado. Com o armazenamento das informações, gera estatísticas e, assim, reconhece os gostos e comportamentos anteriores do consumidor para proporcionar-lhe uma assistência personalizada, fazendo com que ele se sinta especial.

Sienge

O Sienge é um software especializado em gerir empresas da construção civil. Capaz de substituir qualquer planilha, a tecnologia, que é líder no mercado, integra o canteiro de obras ao escritório e agora, com o auxílio do Push, ao cliente. O sistema acompanha o andamento de um projeto, através de indicadores como o orçado e o realizado, bem como o cronograma físico financeiro – em tempo real! -; aumenta o controle dos custos com o estoque; e gerencia a mão de obra, acompanhando diversos canteiros simultaneamente.

 


 

Gostou do post? Quer saber mais sobre a integração entre construção civil e chatbots? Estamos dispostos a tirar suas dúvidas!

Related Posts

Leave a comment